top of page
  • Foto do escritorDBS Partner

5 práticas que auxiliam o RH na missão de engajar talentos


engajamento de talentos

Um estudo feito pela Gallup, em 2020, avaliou os impactos da pandemia nas empresas e constatou que a desmotivação de funcionários nesse período resultou em prejuízos de mais de 5 trilhões de euros relacionados à perda de produtividade em todo o mundo. Em 2022, por mais que a Covid-19 esteja melhor melhor controlada, o desafio continua.


“Engajar e reter talentos é um dos grandes desafios que as empresas enfrentam hoje em dia, principalmente quando levamos em consideração os atrativos que surgiram após a pandemia, como o trabalho híbrido ou completamente remoto. É importante para a organização ter o talento certo no lugar certo, e se ela não conseguir mantê-lo, surgirão problemas e gastos com rotatividade. Afinal, o custo e o tempo investidos para treinar novos colaboradores, de forma repetitiva, são recursos que poderiam ser usados para o engajamento de talentos e para o crescimento da própria organização,” explica Távira Magalhães, CHRO da Sólides.


Fica claro, portanto, que motivar os colaboradores vai muito além de oferecer uma boa remuneração. Embora ela seja um fator determinante, há outros pontos que também precisam estar presentes para a balança se equilibrar. Conheça 5 formas de engajar e reter talentos!


1 – Crie um ambiente de autonomia em todo o time


Uma das melhores maneiras de criar um ambiente de trabalho mais positivo e feliz é com a “cultura de feedback”. Se os funcionários se sentirem à vontade para sempre compartilhar o que pensam sobre a organização, gerenciamento e outros funcionários, é mais provável que sejam felizes e engajados.


“Ao estabelecer uma troca frequente de feedbacks, os funcionários desenvolvem uma mentalidade focada em avanços e melhorias, seja em seu comportamento ou nas suas entregas. Além disso, avaliação de desempenho também são implantações essenciais para o RH que deseja promover o autodesenvolvimento dos colaboradores”, explica Bruno Soares, CEO da Feedz.


2 – Vá além do “beabá” corporativo


Oferecer benefícios alternativos para o time, e apostar no bem-estar financeiro dos colaboradores também é uma forma de torná-los mais engajados, indo além do que é tradicionalmente oferecido no mundo corporativo. Dados da Paketá, fintech que atua na concessão e gestão de crédito sustentável 100% online, mostram que a saúde financeira do time impacta diretamente nas taxas de absenteísmo e produtividade.


“Em algumas empresas, 70% dos funcionários estão negativados. O empréstimo é usado para quitar essa dívida, que em alguns casos é pequena, de R$ 200, mas se a pessoa ganha R$ 2 mil não tem capacidade de pagar, e quando a empresa tem essa preocupação com o colaborador e oferece essa alternativa é um ganha a ganha para os dois lados”, conta Fabian Valverde, CEO e fundador da Paketá.


3 – Gere conhecimento


Em um mundo de constantes transformações, o conceito de lifelong learning, que em tradução livre significa aprender ao longo da vida, deve acompanhar a jornada de todo profissional de sucesso.


“Empresas que oferecem capacitação contínua indicam um compromisso a longo prazo com seus colaboradores e demonstram ao mercado a adoção de boas práticas em Governança, a letra G da sigla ESG. Quando um colaborador recebe capacitação, ele sente-se valorizado como profissional e ganha confiança no desenvolvimento de um plano de carreira dentro daquele ambiente, o que, consequentemente, implica em maior engajamento e retenção de talentos”, analisa Gabriel Tatibana, CMO da Nubbi, hub de educação.


4 – Aposte na comunicação


De acordo com o estudo “Comunicação Trends 2022”, desenvolvido pela Progic, empresa de Comunicação Interna e plataforma líder em TV corporativa no Brasil, para 53% das empresas, o principal desafio dos profissionais de RH e CI é manter os colaboradores cada vez mais engajados.


Muito além de um conjunto de ações que vai de informação, ou simplesmente comunicar, a comunicação interna é uma ferramenta estratégica de relacionamento com os colaboradores com grande valor para compreensão e assimilação dos objetivos da empresa.


“A comunicação com os funcionários recebe ainda mais destaque no home office e no modelo híbrido, já que há a necessidade de informar e alinhar os colaboradores de forma constante. Nas empresas que possuem uma comunicação interna efetiva houve uma melhora de 42,5% na retenção de talentos se comparado às empresas com uma comunicação interna menos efetiva,” diz Igor Vazzoler, CEO e fundador da Progic.


5 – Proporcione um ambiente seguro, agradável e diverso


Segundo um estudo da Harvard Business, em empresas com um ambiente de diversidade reconhecido, os colaboradores estão 17% mais engajados e dispostos a irem além de suas responsabilidades. Para que se tenha um ambiente de trabalho seguro, diverso e inclusivo é preciso que as empresas e lideranças tomem a responsabilidade para si, para juntas construírem um ambiente que seja de fato saudável.


“Investir em diversidade e bem-estar emocional é um ponto positivo tanto para a marca empregadora quanto para os colaboradores. Afinal, quando existe um espaço aberto ao diálogo, ao respeito às diferenças e de apoio mental, a empresa mostra que está se preocupando genuinamente com o bem mais precioso que ela tem: as pessoas”, afirma Carine Roos, CEO e fundadora da Newa, empresa de consultoria em diversidade, inclusão e saúde emocional para as organizações.



Fonte: RH pra Você

Comments


bottom of page