top of page
  • Foto do escritorDBS Partner

Por que encontrar o candidato certo está ficando mais desafiador para o RH?

Estudo mostra as principais tendências e desafios para a gestão de RH em 2024, como áreas que terão mais vagas, habilidades mais requeridas e dicas para montar um CV atraente 



desafios e tendencias gestão de rh

Encontrar o candidato certo será o maior desafio em 2024 para 74,81% dos respondentes na área de recrutamento e seleção. Além disso, 73,51% apontam a escassez de candidatos qualificados como um problema significativo, enquanto 39,53% enfrentam desafios com o engajamento do candidato.

 

Esses são os maiores desafios para o RH em 2024, segundo o estudo “Tendências de RH” realizado pela Catho, marketplace de tecnologia que conecta empresas e candidatos gratuitamente, sobre as tendências de Recursos Humanos para 2024. O estudo ouviu 774 profissionais do Brasil entres os meses de novembro e dezembro/2023.

 

Perguntas realizadas para profissionais de RH:

 

  • Encontrar o candidato certo: 74,81%

  • Poucos candidatos qualificados: 73,51%

  • Engajamento do candidato: 39,53%

  • Currículos completos: 27,91%

  • Descrever a vaga corretamente: 19,12%

  • Preparo para entrevistas: 17,18%

  • Profissionais que querem apenas trabalhar remotamente: 16,15%

  • Agenda com os gestores: 11,50%

 

O desafio de encontrar o candidato certo não é de agora

 

Encontrar o candidato ideal é uma dificuldade que o RH está tendo desde 2021, segundo Christiana Mello, diretora da unidade de recrutadores da Catho.

 

  • Em 2021, 63,12% dos profissionais indicaram dificuldades de encontrar o profissional ideal.

  • Na pesquisa 'Tendências de RH 2023' realizada pela empresa, 64,44% dos profissionais da área indicaram que seu maior desafio seria localizar o candidato ideal. 

  • A pesquisa de 2024 também mostra um aumento significativo, com 74,81% dos profissionais relatando a mesma dificuldade, destacando assim o crescimento desse desafio no setor.

 

Essa escassez de profissionais qualificados que enxergamos hoje no mercado pode ser atribuída a vários fatores, e os avanços tecnológicos desempenham um papel significativo nesse cenário, afirma Mello.

 

“O ritmo acelerado das inovações tecnológicas exige habilidades especializadas que muitas vezes não são facilmente encontradas na força de trabalho atual. Além disso, a rápida evolução das tecnologias pode deixar profissionais desatualizados, criando uma lacuna entre as demandas do mercado e as competências disponíveis.”

 

“Enquanto os avanços tecnológicos impulsionam a inovação, eles também desafiam a capacidade da força de trabalho em manter-se atualizada, agravando a lacuna de habilidades e impactando a oferta de profissionais qualificados no mercado”, diz Mello.

 

O que seria o candidato certo?

 

Cada empresa e setor precisa de uma força de trabalho específica, por isso o candidato certo, segundo Mello, é aquele que se adequa ao perfil da vaga e tem fit com os valores e cultura da empresa.

 

“A definição de candidato certo varia de acordo com os cargos e cada organização, mas de maneira geral, atualmente, os profissionais precisam ter proatividade para tomar iniciativas e se antecipar aos problemas, capacidade de se comunicar com facilidade independente do canal, flexibilidade para lidar com cenários cada vez mais dinâmicos, resiliência e vontade de aprender, que demonstram, respectivamente, facilidade em atuar com todas as situações do dia a dia e ampliação do conhecimento sobre as novas tendências do mercado e impacto da tecnologia nos produtos e soluções.”

 

As áreas que terão mais destaques em 2024

 

A pesquisa mostra que entre as principais áreas de destaques, ou seja, que irão ofertar mais empregos em 2024, estão: tecnologia, Operacional, Vendas e Inteligência Artificial.

 

  • Tecnologia: 25,17%

  • Operacional: 16,10%

  • Vendas: 11,82%

  • Inteligência Artificial: 10,27%

  • RH: 6,16%

  • Comunicação/Marketing: 6,16%

  • Construção/Engenharia: 4,62%

  • Consultoria: 4,11%

  • Atacado/Varejo: 3,42%

  • Saúde: 2,74%

  • Atendimento/Suporte: 2,40%

  • Administrativo/Financeiro: 1,88%

  • Turismo: 1,20%

 

“Mais de 25,17% dos profissionais de RH veem a área de tecnologia como a grande aposta para contratações em 2024. Além disso, áreas como operacional, vendas e inteligência artificial também serão foco, indicando uma diversificação nas demandas por habilidades especializadas”, afirma Patricia Suzuki, diretora de Recursos Humanos na Catho.

 

As habilidades mais requeridas neste ano

 

Em termos de habilidades comportamentais, proatividade, resolução de problemas, trabalho em equipe, relacionamento interpessoal, resiliência e flexibilidade serão as mais requisitadas em 2024.

 

  • Proatividade: 11,37%

  • Resolução dos Problemas: 10,61%

  • Trabalho em equipe: 10,05%

  • Relacionamento interpessoal: 9,96%

  • Resiliência: 9,48%

  • Flexibilidade: 8,58%

  • Criatividade: 7,99%

  • Ética: 7,71%

  • Empatia: 7,66%

  • Liderança: 5,97%

  • Espírito de dono: 5,83%

  • Protagonismo: 4,78%

 

Quanto às competências técnicas, destacam-se raciocínio lógico, gestão de projetos, conhecimentos avançados em sistemas, pacote Office e idiomas.

 

  • Raciocínio Lógico: 24,86%

  • Gestão de projetos: 15,69%

  • Conhecimentos Avançados em sistemas/TI: 15,20%

  • Pacote Office: 13,60%

  • Idiomas (inglês, espanhol, alemão): 11,51%

  • Interpretação de texto/Língua Portuguesa: 10,28%

  • Vendas: 8,86%

 

“Um ponto-chave identificado na pesquisa é que as entrevistas e a divulgação de vagas serão as fases prioritárias do processo de recrutamento e seleção em 2024. Plataformas online e sites de emprego continuam sendo os mais utilizados para divulgação de vagas, enquanto redes sociais, eventos e sites de notícias são os principais meios de atualização para os profissionais de RH”, afirma Suzuki.

 

Como encontrar o candidato ideal para a vaga?

 

A pesquisa mostra que o RH precisa mais do que nunca criar estratégias para recrutar e selecionar candidatos. Segundo Mello, é necessário que os recrutadores definem o escopo, as habilidades e competências que são imprescindíveis, e tenham clareza de qual é a cultura organizacional, quais são os valores importantes para o negócio e que o profissional também deve ter.

 

“Ter um processo seletivo bem estruturado ajuda muito nesta busca, por isso é importante desenhar todas as etapas necessárias e deixar isso claro para os candidatos.  Por exemplo, para a etapa inicial de atração e contato com os candidatos, os recrutadores podem contar com ferramentas digitais para triar os currículos de maior compatibilidade e já iniciar a conversa com os profissionais mais aderentes ao que a organização precisa”, afirma Mello.

 

“Além disso, incluir testes comportamentais e de habilidades específicas na etapa de seleção, ajuda a entender o nível de conhecimento e senioridade de cada candidato, antes mesmo da entrevista.”

 

Como a empresa pode avaliar se o candidato é engajado ou não?

 

Cada empresa pode adotar diversas estratégias para avaliar o engajamento dos candidatos. Mas a avaliação já começa pelo currículo, ou seja, a forma como está preenchido, se as informações estão completas, e também pelo histórico profissional, observando as experiências anteriores e o crescimento ao longo da carreira.

 

“Nas entrevistas, é possível observar como o candidato se comporta utilizando perguntas específicas sobre desafios enfrentados ou casos práticos, por exemplo. O feedback de empregadores anteriores pode oferecer insights sobre o desempenho e dedicação do candidato”, diz Mello.

 

“A inclusão de testes práticos pode oferecer uma avaliação mais concreta das habilidades e do engajamento do candidato. Essa abordagem, conduzida de maneira ética e respeitando a privacidade, busca uma compreensão abrangente do comprometimento potencial do candidato com a empresa.”

 

Dicas para o CV e para se preparar para a entrevista

 

Os candidatos que procuram por um novo emprego, segundo Mello, devem lembrar que o currículo é o primeiro contato que o recrutador terá com a sua candidatura, por isso, criar um documento que seja objetivo e claro pode ampliar as chances de um convite para seguir no processo seletivo.

 

Para um currículo ser bem avaliado, Mello ressalta que ele deve:

 

  • Conter os principais dados pessoais e de contato (nome completo, nacionalidade, e-mail, telefone, cidade e estado onde reside);

  • Não conter dados sensíveis (CPF, RG, etc.);

  • Apresentar o objetivo profissional específico (cargo e área de interesse);

  • Trazer apenas as experiências profissionais mais relevantes e que fazem sentido para a vaga desejada;

  • Comunicar suas principais habilidades e conhecimentos aplicados ao cargo de interesse;

  • Não conter erros ortográficos e de raciocínio, respeitando uma estrutura que facilite a leitura;

  • Possuir, no máximo, duas páginas.

 

Outro ponto interessante para quem deseja conquistar uma oportunidade de emprego é analisar as palavras-chave utilizadas na descrição da vaga e aplicá-las, sempre que possível, no currículo e até mesmo ao longo de todo o processo, para demonstrar a conexão entre o seu perfil e a oportunidade de emprego.

 

Já para o momento da entrevista, o candidato deve se preparar com antecedência e ficar atento a alguns pontos, como:

 

  • Estudar sobre a empresa e o setor de atuação;

  • Demonstrar interesse nas informações recebidas pelo time de RH e tentar conectar a sua trajetória a elas;

  • Comunicar seus principais pontos fortes e de que forma o seu perfil se relaciona com a vaga e pode contribuir para a empresa;

  • Trazer informações que complementam o seu currículo;

  • Se possível, fazer perguntas que engajem o recrutador;

  • Não mentir ou omitir dados profissionais;

  • No caso de entrevista presencial, checar o endereço, meio de transporte mais adequado e chegar com antecedência;

  • Não se esquecer de levar os documentos solicitados;

  • Se o bate-papo for de forma virtual, atentar-se à qualidade da conexão da internet e também à luminosidade e organização do ambiente, além de testar os equipamentos (câmera, microfone, etc.) com antecedência.

 

Tanto a seleção do currículo quanto a entrevista de emprego são apenas as primeiras etapas de um processo seletivo, aproveite o contato com o recrutador para entender como serão as próximas fases e já se preparar para obter um bom desempenho.

 

As prioridades dos funcionários para 2024

 

A pesquisa também identificou as prioridades para os profissionais de RH em 2024. Segurança e bem-estar do funcionário, cultura organizacional e formação de líderes estão no topo da lista. Para as empresas atenderem a essas necessidades, Mello afirma que é preciso que as companhias adotem algumas iniciativas:

 

“As empresas podem realizar pesquisas internas para traçar um panorama das necessidades dos funcionários e conseguir definir as prioridades para cada uma dessas frentes. A exemplo da Catho, nós temos um programa chamado Viva Bem que atua com foco na saúde do funcionário e tem diversas ações, como Apoio e palestras sobre Maternidade, Licença Paternidade Estendida, Outubro Rosa, Novembro Azul, Apoio de Psicólogos, CIPA, acompanhamento nutricional, entre outros.”

 

“Em relação a cultura organizacional, além de manter as pesquisas internas periódicas, é necessário deixar claro quais são os valores da companhia através da comunicação direcionada, encontros e eventos com os funcionários.”

pesquisa RH Catho

Divulgação Catho

 

 

Os líderes são peça-chave para atender essas prioridades, por isso Mello afirma que o investimento na formação desses profissionais é estratégico para o sucesso de qualquer negócio.

 

“O ideal é que as empresas mantenham a liderança alinhada às prioridades estratégicas e forneçam apoio e conhecimento para evolução constante dessa posição importante dentro das equipes.”

 

 

Fonte: Exame

Comments


bottom of page